25.7.07

três notas (falsas) sobre blogs


1. Há blogues que têm site meter. Quando têm 5 visitas por dia e passam a ter 20 instalam o site meter. Quando voltam a ter 5 visitas por dia dispensam a funcionalidade. Devem achar que o site meter assusta as pessoas.

2. Parece haver uma associação entre a não admissão (ou restrição) de comentários nos blogues e a identificação do seu autor com ideologias de direita. Claro que, como a grande maioria dos blogues admite comentários, não é muito fácil notar uma associação entre a admissão de comentários e a identificação dos autores com ideologias de esquerda (o que interfere no que vai antes). Passando grosseiramente por cima da destrinça entre uma(s) e outra(s); estou a tricotar uma impressão, a de eu (olá), que sou um pequeno frequentador de blogues.

3. Nos blogues funciona, obviamente como em tudo o resto, o jogo de poder. Mas é um campo onde este jogo se produz com uma subtileza especial. É que no mundo dos blogues a simples presença (que pode ser traduzida num simples ponto de exclamação, sorrisito, ou num comentário mais elaborado) tem um peso que ultrapassa o da simples presença no mundo lá de fora. O Sr. A vai à fnac e calha estar um tipo que ele considera energúmeno a apresentar um livro. Mas não resiste à curiosidade e assiste. Encontra o Sr. B que lhe pergunta: atão, vieste à apresentação, foi? O Sr. A responde: tás doido pá, vim tomar um café sossegado mas tá esta confusão toda, uma chatice. Num blog isto é impossível, porque o mais pequeno comentário, ainda que negativo, é excessivo no reconhecimento da existência do outro (do blogger comentado).

Rui Costa

9 Comments:

At 12:09 da manhã, Anonymous Anónimo said...

1. O blogue representa a possibilidade íntima de mudar o mundo.

2. O blogue virtualiza qualquer possibilidade de mudar o mundo.

3. confesso que quero mudar o mundo.


amac

 
At 2:08 da manhã, Blogger loucomotiva said...

quando se dão 3 notas, mesmo que (falsas), acabamos sempre por ter um acorde. Falta saber se Maior, Menor, Bemol, De Sétima, De Fátima...
É apenas uma questão de se ter bom ouvido ou como se costuma dizer «ter 'queda' para a música». 'Quedar' não é ficar, é mais tipo 'uma cena fixe'.

O Malraux é que curtia muito cenas »»»» «««« destas ««« »»»! Mas também «« deu ««« »»»» o »» dito por o não dito ««««!

Jorge GP
loucomotiva.blog.com

 
At 10:53 da manhã, Blogger GAF said...

a direita comenta e não se deixa comentar. Deixaria, sim, se a comentassem para o bem e não a acometessem. Mas acho que isto aqui é mais complexo e todos acabamos por falar sozinhos.

 
At 11:32 da manhã, Blogger etanol said...

O Gaf é capaz de ter razão, isto é mais complexo do que parece. E se anda tudo a falar sozinho ou cada qual tem a sua opinião, os blogs são um jogo de poder? Não sei, sei que no dia a dia as pessoas têm filtros quando socialisam e aqui no virtual facilmente desaparece o verniz, fazem-se projecções porque não se está a ver quem está do outro lado, nem se conhece, geram-se mal-entendidos facilmente, mas também surgem surpresas agradaveis e boas trocas de ideias. Rui, estas notas falsas que lançaste têm que se lhe diga, talvez tenhas razão relativamente à presença dos comentário serem execessivos no reconhecimento da existencia do outro no mundo virtual onde as pessoas não estão em contacto directo, por vezes nem se conhecem.Um comentário é uma ameaça ao território do bloger? Sempre que alguém comenta é porque quer impor uma opinião?
Maria João

 
At 11:40 da manhã, Blogger SV said...

Não sou sensível às críticas aos blogues que não têm caixas de comentários. Acho que o blogger tem todo o direito de querer falar para o boneco (por mim falo!).
Mas há uma outra realidade que é repugnante, que é o prévio controlo dos conteúdos a publicar e eliminação daqueles que (não sendo ordinários, difamatórios, etc.) não favorecem a imagem do dono do blogue.

Há alguns meses atrás, tentei deixar um comentário na caixa do mel com cicuta. Dizia (e estou a citar de cor) que era um blogue que lia e que, nem sempre concordando, gostava de acompanhar. E que por isso assistia com particular tristeza a alguma "tacanhez social" da autora, que insistia em falar em "suburbanos emocionais" e afins.

O meu comentário nunca foi publicado.

Não quer comentários, tem todo o direito; se quer comentários (exceptuando excessos que devem ser corrigidos), a autora deve ter a maduridade e espírito democrático para encaixar a crítica, e se quiser refutar.

PS: Comentários naquele blogue - no more! Até porque não teria nada de interessante a dizer (defeito meu, naturalmente).

 
At 12:11 da tarde, Blogger hmbf said...

1. Pertinente. Mas cuidado com as interpretações. Na vida real as aparências são simulações das evidências, já dizia o poeta.

2. Falso, por isso verdadeiro. Tanto à direita como à torta, encontramos de tudo um pouco. Do que eu gosto mais é dos privados.

3. Esta é, das três, a nota mais interessante. E deve ser lida, julgo eu, no que o Rui quis deixar explícito: «o mais pequeno comentário, ainda que negativo, é excessivo no reconhecimento da existência do outro». É óbvio que, reconhecida a existência do outro, torna-se impossível ignorá-lo. Os links também contam.

 
At 1:33 da tarde, Anonymous Anónimo said...

I. Idem para quando envias um e-mail, pedes o recibo de recepção e o visado não acusa o mesmo...terá medo de ficares a saber por onde anda?
II.Quem nao responde ao e-mail será de direita, extrema-direita ou fascista?Se calhar não o recebeu ou não tem o que dizer:)
III.Tal e qual!Não acusou a recepção do e-mail, é de direita, mas o dito lá está na sua caixa de correio.Marquei presença!
:)
PB

 
At 12:46 da manhã, Anonymous Anónimo said...

amac: vou começar por mudar o blog. boas.

loucomotiva: 3 em fátima e a cair prá música é com o Eurico Cebolo, vide http://sisoincluso.blogspot.com/2005_01_01_archive.html
abraço

gaf: qual falar sozinho, há muita orelha por aí!

etanol: sempre que alguém comenta é porque, por exemplo, é mais forte o desejo de comunicar do que o medo de dar parte de fraco, por isso (embora isto não se aplique a tudo) é que tão pouca gente comenta.

sv: também acho que devia.

hmbf: encontramos de tudo, claro, mas há preferências que revelam atitudes de vida (pode simplesmente não se querer comentários por se achar que assim se perde menos tempo com o blog)

PB: acho que o gajo deve ter ido de férias, sinceramente não acredito que se esteja a lixar pra ti. beijinhos!

Rui Costa

 
At 12:40 da manhã, Blogger redonda said...

Eu até tentei instalar o sitemeter, mas depois ele não quis nada comigo e foi-se (quando fui ao site, estava lá a nota que havia um problema com os S29 (caso do meu) mas que o estavam a resolver...talvez ainda estejam :)
Achei interessante este "post" quanto aos comentários como reconhecimento da existência.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home