6.10.07

1ST TRANSMISSION


É que ando pela rua aos soluços, não comporto instrumentos nas minhas melodias, prometo apenas não te entregar às autoridades, sou assim e sei e quero, não estou para virar a curva do vício, simples, muito simples, dois riscos de coca, algumas cervejas, uns charros, na boa, não virarei a curva do vício, e sou por isso o teu aquilo mais que tudo, podes vender-me ao quilo, podes fazer de mim uma manta de retalhos, podes deitar-te no meu aconchego ou limpar as solas dos pés ao tapete do meu peito, podes cuspir-me para o chão, estou-me pela terra a toda a parte que o céu caia, sei que sabes, sei que entendes, sei que farás o que bem entenderes. Amo-te. Digo-te, sem colar com cuspo as letras de cada palavra. Apenas o hífen, um pouco oscilante, como pontes de cordame.

2 Comments:

At 12:09 da manhã, Anonymous Anónimo said...

esta série lembra-me abecedário. :) gosto muito
Aurora

 
At 3:40 da tarde, Blogger hmbf said...

Abecedário ou Dicionário? :)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home