2.10.07

POEMS


Entrei numa loja para te comprar um ramo de poemas, só tinham flores, disseram-me, mas eu não entendi a resposta, repeti que queria um ramo de poemas, voltaram a explicar-me que ali só vendiam flores, sugeriram-me vários tipos de flores, disseram-me os nomes, como sabes sou péssimo com os nomes das flores, apenas tenho memória para poemas, esforcei-me por fazer compreender esta minha particularidade, ninguém me entendia, à força de não me quererem vender poemas, impingiam-me flores, que cheiravam melhor, eram mais vivas, que as mulheres gostavam mais de flores, flores que eu não quero, definitivamente não quero, pois tenho-te a ti, ninguém dá flores às flores, o que eu quero mesmo é um ramo de poemas.

2 Comments:

At 12:31 da tarde, Blogger Ana Isabel said...

Caro Henrique

Por gostar muito destes seus textos, e por já ter colocado dois deles nos meus blogs, estou agora aqui, tardiamente, a pedir-lhe a devida autorização.

Ana Isabel

 
At 3:45 da tarde, Blogger hmbf said...

Não é preciso pedir. Agradeço.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home