17.12.07

UM LOBODUTO PARA LUÍS FREITAS

Comprei o Expresso este fim-de-semana. Apreciei a página de humor assinada por Luís Freitas Lobo, que entre números 9 de perfil ‘girafa’, sistemas alternativos, centros aéreos, coordenadas atacantes, tapetes tácticos, alas do losango, toques de Midas - «O jogo contra o Dínamo, com Moutinho de regresso ao centro, no vértice ofensivo, foi o ‘toque de Midas’ para devolver à vida o losango.» -, consegue brindar-nos com frases de recorte técnico irrepreensível. Eis um exemplo: «Antes de viver, uma equipa tem de aprender a sobreviver.» Isto é verdade. Basta ver Everything You Always Wanted to Know About Sex, de Woody Allen, para perceber que antes de haver vida uma equipa de espermatozóides está, de facto, obrigada a sobreviver. Mas Luís Freitas Lobo é todo um tratado humorístico. Sobre o Belenenses, diz que é uma equipa que respira muito bem quando tem a bola mas que fica sem ar quando a perde. Talvez seja da humidade. E conclui: «É, portanto, uma equipa algo perturbadora. Porque pode oferecer artigos de ourivesaria de luxo, entenda-se belos gestos técnicos, mas, depois, não consegue os mais elementares bens de primeira necessidade, entenda-se segurança defensiva e esforço sem bola.» Isto é, sem dúvida alguma, assaz perturbador, mas merece-me uma crítica construtiva. Não destruas as metáforas, ó Lobo, explicando-as logo de seguida. Deixa que a nossa imaginação ganhe as asas necessárias para te acompanhar nos raciocínios. Não resisto, porém, a responder ao desafio que Luís Freitas Lobo faz no início da sua crónica central. Pergunta ele: «Concentração, magia, inteligência, criatividade, etc. Quais destas palavras melhor definem hoje uma grande equipa e os seus melhores jogadores?» Estou plenamente convencido de que a palavra que melhor define hoje uma grande equipa e os seus melhores jogadores é a palavra etc. Mas tu, caro Lobo, tu dirás qual é. Precisamos de lobos da tua estirpe a iluminarem o nosso caminho. Sugiro mesmo que, estando o Governo a preparar um ‘loboduto’ que custará para cima de €100 milhões, te construam por lá um casebre, pois és, sem dúvida, uma espécie em vias de extinção. Tão em extinção que, segundo parece, não passa um único lobo onde vão construir o tal ‘loboduto’. Passarias tu, ó imprescindível Luís Freitas. Passarias tu.

3 Comments:

At 4:08 da tarde, Blogger Luis Eme said...

Realmente, percebe-se que esse Lobo escreve de dicionário aberto...

é um tratado de frases feitas...

 
At 4:19 da manhã, Anonymous Clinster said...

Tu és um coitadinho.

 
At 11:46 da manhã, Blogger hmbf said...

Podes crer. Mas sou-o às claras.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home