21.1.08

Labirinto #2


Jerónimo Tavares Mascarenhas de Távora, Epithalâmio, 1738, in Ana Hatherly, A casa das Musas, Ed. Estampa, Lisboa 1995.


Jerónimo Tavares Mascarenhas de Távora nasceu em Lisboa, formou-se na Universidade de Coimbra, na faculdade dos Sagrados Cânones em 1731, foi Juiz de fora da Vila de Marvão e notabilizou-se como poeta, constando a lista das suas obras na Biblioteca Lusitana de Barbosa Machado. O presente texto-visual foi encontrado por Ana Hatherly na Biblioteca Nacional e classificado pela autora na categoria de Labirinto devido a apresentar a possibilidade de leituras múltiplas, para além do assunto que nele é abordado. Trata-se de um Ephithalâmio que celebra o casamento de D. Joana de Bragança, neta do rei D. Pedro II, sobrinha de D. João V, com o Conde de Monsanto, Dom Luís de Castro. Nele observamos o nome dos noivos em forma de leque, escrito com maiúsculas, sobrepondo-se ao texto em minúsculas. Toda a escrita se desenvolve na página em encruzilhada, colocando em destaque as letras dos nomes dos noivos. Este maravilhoso Ephithalâmio é um texto-visual do estilo barroco português tardio.

Maria João

2 Comments:

At 2:39 da tarde, Blogger rui said...

Maria João, já em 1983 a Ana Hatherly tinha publicado, em "A Experiência do Prodígio" (título sugestivo, não é?), uma extensa colecção de textos visuais dos séc. XVII e XVIII, entre os quais numerosos labirintos. Também a revista Claro-Escuro, dirigida pela AH, tem alguns exemplos desses labirintos

 
At 3:11 da tarde, Blogger etanol said...

olá Rui,
Obrigada pelo comentário, vejo que também tens empatia com estas coisas.
Tenho aqui em casa essa maravilhosa obra da Ana Hatherly e também conheço os artigos da revista claro-escuro. A obra da Ana Hatherly e dos experimentalistas portugueses são uma fonte de inspiração aqui para a borderline insone.
:)
Maria João

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home