7.4.08

1. BURACO AZUL


foto: Rui Costa

Eu gostava de uma urbe que fosse dentro de um buraco azul como o da fotografia [a fotografia é a preto e branco mas fazem de conta?]
Um buraco azul que não ocupasse demasiado espaço por fora e que, lá dentro, fosse enorme para esticar as pernas e os braços e todas as tardes encontrar um café novo e uma mulher bonita (podia ser uma mulher verde, daquelas com algas no alto da cabeça, ou uma mulher negra com os mamilos espetados e sem deixar espaço na boca para respirar). Este buraco seria uma espécie de bolso na saia do universo; e de cada vez que acontecesse alguma desgraça a mulher da saia abanava o rabo e a desgraça saía cá para fora e ia chatear um universo muito longe. Não sei se esta ideia será muito praticável do ponto de vista dos arquitectos, engenheiros e economistas. Mas deixem-se convencer na mesma, porque eu preciso de mais uma pessoa para começar a urbe. O meu email é: msgtorc@hotmail.com


2. turbe

juntando breu,
o´neill se rube.
deita mais rubé
e fica ubre, eu

sei que há mil
poeta na urbe
que faz bure
e não rubi, ó’neill.

Tenta rebu-
çado de erbu
para comer

a urbe com buré.
coisa de rebu: é
nil, poema béru.


Rui Costa

in Revista Big Ode nº 4


2 Comments:

At 10:24 da tarde, Blogger etanol said...

A fotografia é azul e branco!
:)
Maria João

 
At 11:38 da tarde, Blogger L. said...

ora viva

linkado em http://parecepouco.blogspot.com

aparece sempre

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home