3.7.08

O pensamento nas mãos#4

Para a Sara Monteiro


Horowitz a tocar a Consolação nº3 de Liszt

Que deixou este comentário no Perguntar ofende? #7: “já agora lembras-te do caso da cão que foi deixado a morrer à fome numa galeria de arte? E agora chovem petições e na altura o homem diz que ninguém fez nada? E ele chama ainda hipócritas às pessoas que muito se indignam, porque deixam morrer cães na rua e até pessoas à fome e ninguém quer saber. Ele diz que quis fomentar o diálogo. E para isso sacrificou um cão abandonado. Não sei, agora dizem que não foi bem assim, etc, etc. Mundo complicado este. Coitado do cão. Arte para mim é tudo o que me puder confortar, dar alegria, ajudar a viver, rasgar o véu. Viste uma série magnífica Of Beauty and Consolation?”

Maria João

9 Comments:

At 4:08 da tarde, Anonymous sara monteiro said...

Oh! Obrigada!:)
Não podia ser melhor!

 
At 5:34 da tarde, Blogger Vida Involuntária said...

M. J.

Já me tinha lembrado do Horoviyz e das suas "Cenas Infantis".
Acho esta série um bom achado, sobretudo em tempos de "Festivais de Verão".

Se me é permotodo sugerir, por que não a fantástica Martha Argerich, a nossa mozartiana M. João Pires ou o Maurizio Pollini ou o Brendel.

Como "dico pedido" sugeria as "Variações Goldberg" do J. S. Bach pelo ímpar Glenn Gould.
Como diria o Sena num poema de "Arte de Música", justamente intitulado "Variações Goldberg":

"É impossível regressar após tanta invenção".

Cumps.
I. L.

 
At 5:37 da tarde, Blogger Vida Involuntária said...

Corrijo a gralha do Vladimir Horovitz.

 
At 7:39 da tarde, Blogger matheuss said...

sinceramente, não acho que é isso, arte é tão bipolar quanto os seres humanos.

 
At 8:08 da tarde, Blogger etanol said...

IL: obrigada pelo comentário e sugestões.

Matheuss: para mim, é BOA ARTE o Horowitz a tocar esta consolação de Liszt

 
At 8:14 da tarde, Blogger Vida Involuntária said...

As "Variações Goldberg" foram compostas por JSBach (há outros Bach(s) ilustres) para curar as insónias do Sr. Conde Goldberg.
Generalismos, bem intencionados sobre arte, sem conhecer bem nem Sena, nem Gold, nem Bach, podem levar a confusões.

 
At 12:02 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Estupenda esta versão intimista e em andamento bastante lento da Consolação de Liszt, pelo Horowitz no Musikverein de Viena.
Acho muito interessante esta revisitação de pianistas já desaparecidos, que felizmente estão bem documentados em video, como é o caso de Horowitz, Gould, Richter.
SL

 
At 12:21 da manhã, Blogger etanol said...

SL, obrigada mais uma vez pelos teus comentários. Estou a encontrar os videos no youtube, conheço estes pianistas de os ouvir em Cds sobertudo e achei as mãos do Horowitz muito dramáticas, enormes e delicadas em simultaneo. É uma intrepretação expressiva e cheia de pequenos detalhes fantásticos.

 
At 4:41 da tarde, Blogger maria pragana said...

Como sugerido por vida involuntária (deliciosso nick, by the way), venha o Brendel, se faz favor! Junto do Richter e do Gould, formaria o meu trio de estimação.
:D

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home