20.9.08

Fragmento # 63 - Pastelaria Marginal

Tive o prazer de participar esta madrugada no 1º Grandioso Encontro de Pastelaria Marginal Portuguesa. Sou uma adepta feroz desta arte maior e era impensável recusar o desafio lançado pelos anfitriães, dar corpo e voz a iguarias poéticas no Manel Bar na praia de Sta Cruz. Na realidade, sou uma adepta que vive com uma banda gástrica desde Março de 2006 e já perdeu 50kg, a relação que estabeleço com estas coisas agora é muito diferente e tem limites no que diz respeito ao prazer de comer. O encontro teve início na Cervejaria Imperial, onde cheguei com os companheiros Sara e Rodrigo da Big Ode; degustei então uma bela açorda de mariscos, a minha drástica não gostou de todas as texturas dos mariscos, mas o possível foi acompanhado por vinho regional em ambiente caloroso. Aviso desde já o Henrique e o Mário Calado Pedro que esta cervejaria às terças-feiras faz promoções nas caranguejolas recheadas até ao mês de Maio de 2009, não provei, mas pelo aspecto devem ser belíssimas. Na Cervejaria conheci o Pedro Lopes, que também iria ler um texto dele, tal como eu, e o Mário Lisboa Duarte, um dos grandes anfitriões do evento, acalmou-me dizendo que o ambiente era familiar; eu estava um pouco nervosa porque tinha escolhido A cozinha, mas ele já me tinha dito que faria sentido até em castelhano. Depois apareceu o Rui Almeida, que gosto sempre de encontrar nestas ocasiões e fomos todos para o Manel Bar: a ementa era composta por textos de Pedro Lopes, Luís Graça, Luís Filipe Cristóvão, Golgona Anghel, Mário Lisboa Duarte, Mário Cesariny, José do Carmo Francisco, Alexandre O’Neill, Inês Leitão, a que vos escreve aqui, António Lobo Antunes, Mário Henrique Leiria, Rui Laje, Murillo Mendes, Jorge Sousa Braga e Armando Silva Carvalho. Devido à ausência da Raquel Sousa nas leituras, fiquei encarregue de dar voz à “ bola de Berlim” de Inês Leitão e “Sonho com a filha do padeiro” de Golgona Anghel , ou seja, fui a voz feminina da ementa ao lado do Pedro Lopes, Luís Filipe Cristóvão, Mário Lisboa Duarte e Formiga. A sessão teve piada, foi alternada com a projecção de vídeos que em breve estarão presentes aqui, eu apenas senti uma ligeira falta de folgo a meio da leitura de cozinha, mas sinto que de resto correu bem. Para mim, o ponto alto da noite foi o Mário Duarte Lisboa a ler poemas do Luís Graça, não conhecia as suas iguarias, o poeta estava presente no evento e ofereceu-me o seu livro A Mulher que fazia recados às putas e mais contos preversos que estou a ler e me está a deixar sem palavras, coisa rara. Como não tenho nenhum registo vídeo ou fotográfico do que se passou ontem, deixo-vos aqui um vídeo para abrir o apetite em relação às iguarias de Luís Graça:


Haja saúde
Maria João

5 Comments:

At 7:38 da tarde, Blogger Inês Ramos said...

É por isso que não perco estes encontros de poesia marginal dos margem d'arte. E a Maria João leu muito bem a "cozinha".
Pena o Henrique não ter aparecido. Um abraço a todos.

 
At 6:56 da manhã, Anonymous gballand said...

Excelente leitura de poemas "décalés". Bendito seja o general... e o Luis Graça !

 
At 1:19 da tarde, Blogger etanol said...

Olá Inês,
obrigada pelo comentário.
Também gostei de te conhecer, e agora já sei quais são os teus blogs - goto muito do que é sobre gatos.

gballand: haja saúde.
Maria João

 
At 7:06 da manhã, Anonymous Luís Graça said...

A minha amiga Inês alertou-me para o post e cá vim dar. Já tinha andado por aqui, nestas madrugadas linkalhadas de zapping blogosférico.
Conheço o Clint Eastwood de qualquer lado.

Obrigadinho é o que eu vos desejo. Desculpem lá a maçada que me deram.

Se ficaste sem palavras com "A mulher que fazia recados às putas e mais contos perversos", posso adiantar que há mais palavras do estilo em "O homem que casou com uma estrela porno e outros contos perversos", o antepassado desta mulher. Só que este livro é da Polvo. Já não tenho para oferecer.
Podes pedir à Polvo. Que também tem o livro que querias, na versão mais pequenina: "De boas erecções está o Inferno cheio", com os poemas que o Unas leu. Alguns, pelo menos.

Beijinhos e um queijo da serra.

Grande ideia porem aqui os vídeos do encontro. Fico ansiosamente à espera que abra a época da "Caça ao Pasteleiro".

 
At 5:01 da tarde, Blogger etanol said...

Caro Luís Graça,

Obrigadinho para si também e está perdoado pela maçada que me dá!

:)
Maria João

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home