9.9.08

UM POEMA DE MIGUEL-MANSO

BOTÂNICA

Backster decidiu utilizar um detector
de mentiras para medir a velocidade com que
a água sobe da raiz de um filodendro
até às folhas

apercebeu-se então que
o desenho era em tudo semelhante
ao que acontece quando se submete o mesmo
aparelho a uma pessoa

e
mais espantoso ainda
verificou serem as plantas capazes de
adivinhar o pensamento humano
pois só assim se explica a dramática
subida do nível gráfico

apenas por ter passado pela cabeça
de Backster a hipótese de queimar
uma das folhas

entende-se melhor agora a insistência
de alguns botânicos na necessidade de se dar
mais atenção aos letreiros

«É favor não pisar a relva»

Miguel-Manso
Contra a Manhã Burra
Edição do Autor
Maio de 2008

2 Comments:

At 7:54 da tarde, Blogger Texto-Al said...

mt inspirador. incrivel como em ediçoes pequenas podemos encontrar tanto metal precioso;)

T.

 
At 9:32 da manhã, Blogger L. said...

troquei livros com o miguel a semana passada. confesso que ainda não o li, mas estou bastante interessado, a julgar pela amostra.

e de facto nao esta facil encontrar uma boa editora, por isso nao se admirem se ele reaparecer em edicao de autor em breve...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home