14.10.08

VISITA

Eu estava esperando esta noite
Eu estava esperando ter a garganta apertada
Sem poder gritar
Eu estava esperando ver montes negros desenhados no céu
Eu estava esperando minhas estrelas
(E minhas mãos como duas foices de lua
Andassem sozinhas brincando com elas)
Hoje houve a solidão da visita
Daquela asa invisível que entra em mim
Quando a terra se desprende da Terra
E as montanhas são altas, mais ainda…



Cristovam Pavia, pseudónimo literário de Francisco António Flores Bugalho, nasceu em Lisboa, em 1933. Colaborador de revistas literárias como Távola Redonda, Árvore, Anteu, entre outras, estreou-se em livro com 35 poemas, publicado em 1959. No dia 13 de Outubro de 1968 atirou-se para debaixo de um comboio. Sobre o poeta, escreveu recentemente António Lobo Antunes: Cristovam Pavia, poeta que estimo imenso e se abraçou a um comboio aos trinta e cinco anos, publicou um único livro de poemas antes desse abraço. O último verso do livro ficou para sempre na minha cabeça. Diz: Só há saída pelo fundo. De maneira mais ou menos obscura sempre achei isto verdade. Agora faz parte da minha carne: só há saída pelo fundo, realmente, mas há uma saída. E basta-me a certeza disso.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home