12.10.08

APRENDER A CONTAR #22

INFORMAÇÃO

Há já quatorze anos que está sentado à entrada de um postigo. As pessoas só lhe dirigem dois tipos de perguntas.
— Onde ficam os escritórios da Montex?
Ele responde:
— Primeiro andar, à esquerda.
A segunda pergunta é:
— Onde fica a Empresa Transformadora dos Desperdícios de Resinas?
A esta ele responde:
— Segundo andar, segunda porta à direita.
Há catorze anos que nunca se engana, toda a gente tem recebido a informação correcta. Uma vez, porém, aconteceu que uma senhora se dirigiu ao seu postigo e lhe fez uma das perguntas habituais:
— Pode fazer o favor de me dizer onde é a Montex?
E ele, nessa única vez, alongou os olhos e disse assim:
— Todos nós vimos do nada e à merda do nada vamos voltar.
A senhora apresentou queixa. A queixa foi examinada, discutida e depois arquivada.
E de facto, não era assim tão grave.

István Örkény (1912-1979), Histórias de 1 minuto, vol. 1, trad. Piroska Felkai, p. 35, Cavalo de Ferro, Novembro de 2004.

#1 / #2 / #3 / #4 / #5 / #6 / #7 / #8 / #9 / #10 / #11 / #12 / #13 / #14 / #15 / #16 / #17 / #18 / #19 / #20 / #21

1 Comments:

At 10:44 da tarde, Blogger AM said...

Mais grave - sobretudo face ao novo acordo ortográfico é saber se o quatorze da primeira frase é o mesmo que o catorze que mais abaixo se apresenta...

Elocubrações como esta conduzem, também, muitas vezes, à conclusão do personagem que do nada vimos e à mesma merda havemos de tornar(seja 14 com quê de rabo ou cê de cagar!)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home