10.10.08

APRENDER A CONTAR #20

O IMPROVISO

Como é sabido, o semipoeta Boris Pasternak tinha um cão chamado Balagan. Ora, um dia, nadando Boris Pasternak no lago, disse ao povo que se amontoava na margem:
— Vede sob o álamo, olhai,
Cavando a terra o Balagan!
Desde então, este improviso do conhecido semipoeta tornou-se um provérbio.

Danill Harms (1905-1940), A Velha e Outras Histórias, trad. Nina Guerra e Filipe Guerra, p. 58, Assírio & Alvim, Agosto de 2007.

#1 / #2 / #3 / #4 / #5 / #6 / #7 / #8 / #9 / #10 / #11 / #12 / #13 / #14 / #15 / #16 / #17 / #18 / #19

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home