23.1.09

O AMOR É UM DESPORTO MUITO RARO!

(Lichis, La cabra mecánica)*

Esta história de amor
tem lugar num pequeno andar,
numa habitação estreita
com duas camas
e uma mesinha ao meio.
Retiram a mesinha
e juntam os colchões.

Dois, não podem mover-se, não se podem falar,
um, nem sequer sabe fechar os olhos sem ajuda.
Nos seus corpos errantes brotam
pulsos que não correspondem à prática.
Querem ir mais além,
estendendo a alma,
dando-se ao gozo de actuarem
com os recursos que não têm.
A baba cai, a língua confunde-se,
tapam as bocas despistadas
entre os membros brancos, imóveis e absurdos.

Vivos por dentro,
são percorridos pelos bichos que picam no gosto,
a carne – negada – não responde,
é uma vasilha imodesta.
Sem poderem beijar-se, nem transitar,
sem poderem chupar-se, arranhar-se, penetrar-se,
dizer-se porcarias, subtilezas,
sem se conseguirem olhar nem agradecer
as carícias que ficam de lado.

Debaixo da pele, do osso mole,
flúem as águas incendiadas
e salpicam azeite
pintando chagas como portas abertas.

O homem e a mulher têm a vida dentro,
no recheio, no fundo doce do seu sexo.
As mãos e as pernas e as bocas
nunca respondem,
nada lhes pertence dessa matéria
enquanto ganem urgentes e comovidos.

Três generosas loucas
sentam-se a seu lado
e borram com as suas mãos nos lençóis
coisas tão mal escritas como fornicar e incapacitado.
Medem os impulsos, o ritmo,
compõem um palco ilimitado e fértil
até que o coração
lhes salta em lágrimas rompendo as defesas.

Cinco pessoas numa habitação:
duas fazem amor,
três acomodam, empurram, removem e voltam.
Cinco pessoas numa habitação:
cinco fazem amor
numa habitação minúscula,
transcendem.

As duas cadeiras de rodas contemplam vazias o milagre.


Versão de HMBF.

* La Cabra Mecánica é um grupo de pop-rock espanhol formado por Miguel Ángel Hernando (aka Lichis).


Inma Luna nasceu em Madrid no ano de 1966. Jornalista de profissão, publicou os livros de poesia El círculo de Newton (2007) e Nada para cenar (Premio Local de Poesía Villa de Leganés 2005). Participou na antologia De ronda en ronda, antología itinerante de poetas españoles en México, estando igualmente representada na antologia Poesía y ética, da colecção “Voces del Extremo”. Tem colaboração dispersa por várias revistas literárias, entre as quais sublinhamos as portuguesas Minguante e Sulscrito. O poema que aqui reproduzimos integra a antologia Os Dias do Amor, organizada por Inês Ramos (2009).

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home