19.1.09

OBRIGADO JOÃO AGUARDELA




Ouvi a notícia da morte do João Aguardela (1969-2009) na Antena 1. Fiquei emocionado. Nascido no mesmo ano da Maria João, tinha dele a ideia de um tipo cheio de energia, um músico talentoso e ousado que gostava de transformar em novo tudo aquilo que parecia velho. O primeiro álbum dos Sitiados apareceu em 1992, ano em que fui estudar para Lisboa. Ainda o tenho, em vinil. Foi um sucesso estrondoso, muito por causa de uma canção orelhuda chamada Vida de Marinheiro. À época fizeram-se comparações fáceis e despropositadas com os The Pogues. De comum entre os dois projectos havia apenas um gosto pela renovação, um lado picaresco que nos Sitiados estava condenado à eterna melancolia que caracteriza toda a música popular portuguesa (mesmo a que parece mais abrasada). Um ano depois comprei o segundo álbum dos Sitiados, já em CD, mas acabei por vendê-lo à minha irmã. Lembro-me de umas colaborações com o Paulo Bragança – por onde andará ele? – melhores que o resto. Mas o resto era demasiado previsível. Verdade seja dita: mesmo previsíveis os Sitiados eram uma das melhores bandas portuguesas ao vivo. Quem os viu no Portugal ao Vivo lembrar-se-á do entusiasmo provocado na assistência por um Aguardela absolutamente frenético. Há um outro pormenor nesse concerto que guardarei para mais tarde, num elogio que ainda hei-de aqui fazer aos Xutos & Pontapés. Mais recentemente acompanhei dois trabalhos distintos do ex-Sitiados: Megafone e A Naifa. Nos primeiros, aprecio a ousadia de metamorfosear, recorrendo a tecnologias diversas, os registos da música tradicional portuguesa recolhidos por Michel Giacometti. Poderão confirmar no vídeo que acima se reproduz a excelência deste trabalho. Com A Naifa a música era outra, embora os territórios tradicionais nunca tenham sido abandonados. Bandas sonoras para poemas com formatos bem distintos da canção habitual. O legado que João Aguardela nos deixa é, precisamente, o legado da ousadia, da experimentação, do testemunho actualizado de uma cultura que ele sabia riquíssima. Menos rica agora. Infelizmente.

5 Comments:

At 8:16 da tarde, Anonymous Rui Lage said...

Origado também por este post.

 
At 9:15 da tarde, Blogger np said...

e humilde, como poucos na música portuguesa.
Do ano da Maria João e do meu, para mim também foi uma inesperada tristeza a notícia.

 
At 10:43 da tarde, Blogger rff said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 10:44 da tarde, Blogger rff said...

Também me lembro desse Portugal ao vivo...

 
At 12:55 da manhã, Blogger hmbf said...

Rui, vai aparecendo.

NP, qualidade rara.

RFF, sim, lembrei-me de ti, estivemos por lá.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home