18.7.05

O VERÃO

Quanto ao Verão: esse período nefasto e quente
Não apresenta qualquer talento para a chuva, diga-se.
Como o mudo que se concentra excessivamente
Para proferir um assobio magrinho
E acaba por tropeçar de maneira desastrada,
Caindo de uma altura
Desagradável,
E falecendo. O Verão, de facto,
Seria insuportável, não fosse
O futuro e a cerveja.

Gonçalo M. Tavares (n. 1970)

Gonçalo M. Tavares nasceu em Agosto de 1970. É Professor de Epistemologia na Faculdade de Motricidade Humana. Foi Bolseiro do Ministério da Cultura – IPLB com uma bolsa de Criação Literária para o ano de 2000, na área de poesia. O seu primeiro livro de poesia, Livro da Dança, foi publicado no ano seguinte. Desde então, tem dado à estampa inúmeros títulos de ficção e poesia. Está traduzido e representado em diversas antologias publicadas no estrangeiro. Ganhou vários prémios literários, dos quais se destaca, na poesia, o Prémio de Revelação APE/IPLB, com Investigações.Novalis.

5 Comments:

At 12:12 da tarde, Anonymous o coisinho da anaconda emplumada said...

tambem e actor da serie desperate housewifes...

 
At 12:14 da tarde, Anonymous Anónimo said...

housewives keria eu dizer

 
At 1:15 da tarde, Anonymous hmbf said...

:)

 
At 10:03 da tarde, Anonymous Anónimo said...

este individuo é claramente mestiço

n é portugues, é angolano

 
At 1:58 da manhã, Blogger Ente lectual said...

não há igual na nossa literatura. Se este tipo não vier a ser um dos nomes grandes da literatura europeia, então eu que seja um pepino.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home