10.9.06

Caíram as torres, e o deserto
é agora do tamanho da alma:
as torres que levantei, o deserto
que eu quis manter afastado da alma.
Os inimigos que inventei morreram,
se há outros não quero imaginá-los:
portanto não virão os inimigos.
E os amigos não virão também,
como não irei eu a parte alguma:
ficaram apanhados nos seus reinos,
perplexos como eu, sem esperança,
e olham as torres desmoronadas
que foram sua paixão e defesa,
dono de suas almas o deserto.


Tradução de Joaquim Manuel Magalhães.
Julio Martínez Mesanza

Julio Martínez Mesanza nasceu em Madrid em 1955. Estudou Filosofia, acabando por licenciar-se em Filologia Italiana. Foi considerado pela crítica como o mais fiel representante da tendência épica na nova poesia espanhola. Tradutor de Dante, Montale, Moravia, entre outros, publicou os primeiros poemas em 1983 num volume que intitulou Europa. O mesmo livro foi sendo republicado com vários acrescentos. Em 1996 publicou Las Trincheras e, dois anos mais tarde, Fragmentos de Europa 1977-1997. Joaquim Manuel Magalhães inclui poemas seus no primeiro volume dos Trípticos Espanhóis (Relógio D’Água).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home