9.9.06

Pela leve ondulação, a consciência ouve o coração

Pela leve ondulação, os peixes apressam-se
Como dedos, centrífugos, como desejos
Gratuitos. E o prazer intensifica-se
À medida que os olhos se deixam cair
Através da água transparente. O seixo pequeno,
O nítido leito de barro, a concha branca,
São evidências, embora pertença da superfície.
Que mais se poderia pedir à tarde de Agosto?
Quem abriria túneis, seguiria sombras?
- Eu, talvez. - responde o entediado coração. - Levanta-te, ocioso!
(Lábio inferior tremendo, rosto empalidecido por ira feroz)
- O erro habitual, na ideia de estares sentado em sossego,
Embriagando os sentidos, à margem do rio no Verão,
Sobre o relvado bem tratado, sob o trânsito,
Como se o tempo pudesse parar
E a tarde permanecer.
Não, a noite não se faz esperar,
Nem os seus frios relevos, a desolação,
A não ser que o amor venha e construa a sua povoação.
Tradução de Alexandra Barreto.

Delmore Schwartz

Delmore Schwartz nasceu no dia 8 de Dezembro de 1913 em Brooklyn. Filho de emigrantes romenos, Delmore Schwartz não teve uma vida fácil. Alcóolico, viciado em barbitúricos, cedo se confrontou com vários problemas mentais. Foi estudante de Filosofia, tendo vencido, em 1936, o Bowdoin Prize in the Humanities pelo ensaio Poetry as Imitation. O seu primeiro livro, uma colecção de poemas e pequenas histórias, foi publicado em 1938: In Dreams Begin Responsibilities. Ao longo da vida publicou muitas pequenas histórias, poemas, ficções, ensaios, dramas, que lhe valeram elogios de T. S. Eliot, William Carlos Williams, Ezra Pound, Robert Lowell, Vladimir Nabokov. Faleceu no dia 11 de Julho de 1966, consumido pelas drogas e pelo álcool, só.

1 Comments:

At 9:14 da tarde, Anonymous O COISINHO DA ANACONDA EMPLUMADA said...

muito bom.ja agora:o lou reed foi aluno dele e dedicou-lhe cancoes:european son etc
esse tipo de vidas(embora nao influenciem a minha leitura)costumam-me ser especialmente comoventes-revoltantes(supondo claro que a sua agonia se deveu a estupidez-maldade alheia,a azar).seja como for parafrasear a ultima frase da biografia seria um belo remate para o poema.
interessa-me imenso o fulcro do poema:como permanecermos em determinados estados simpaticos convecionados como idilicos prioritarios pode alimentar decisivamente os nossos problemas distraindo-nos das nossas paixoes radicais:o marilyn manson tem um verso no final do antichrist superstar que adoro:all of your wishes are granted and all of your dreams will be destroyed.
obrigado.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home