19.12.06

Sem ironia

Não me digam nada, deixem-me em paz. Já sei
que hei-de morrer. Já aprendi a suportar a dor
diante da beleza intocável. Não me consolam
as palavras, prefiro que não dêem por mim.
Digo-o sem ironia, detesto dramatizar.
Nada tem muita importância. Tudo acaba, até,
por ter um certo encanto. Sorrio por dentro, todo
o meu corpo é um sorriso quando a melancolia
se instala no meu espírito ao fim da tarde.

João Camilo
João Camilo nasceu a 5 de Junho de 1943 em Salgueiro do Campo. Licenciou-se em Filologia Românica no ano de 1968. Foi leitor em Oslo, em Rennes e em Aix-en Provence, tendo-se doutorado em França com uma tese sobre Carlos Oliveira. É professor catedrático de Literatura Portuguesa e Brasileira na Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, e director do Center for Portuguese Studies, assim como responsável pelas suas publicações desde 1989. Poeta, ficcionista, ensaísta, estreou-se em 1975 com a narrativa Retrato Breve de J.B.. O seu primeiro livro de poesia, Os Filmes Coloridos, foi publicado em 1978. Recentemente editou, com a chancela da OVNI, a colectânea O Som Atinge o Cimo das Montanhas. É autor dos weblogs Blue Everest e nada.niente.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home