24.4.07

COM CINCO LETRAS DE SANGUE

De súbito três tiros na memória.
Apagaram-se as luzes. Noite. Noite.
De súbito três tiros nas palavras
um poeta calou-se apagou-se a canção.

De súbito um poema foi bombardeado
um poeta fechou-se nas vogais
cercado por consoantes que talvez
caminhassem cantando para um verso.

Eram granadas? Eram sílabas de fogo?
E de súbito a guerra. Noite. Noite. E um poeta
com cinco letras escreveu no chão:
porquê?
Com cinco letras do seu próprio sangue.

Manuel Alegre

Manuel Alegre nasceu em Águeda no dia 12 de Maio de 1936. Escritor, jornalista e político português, esteve exilado nos tempos da ditadura. Estudou Direito em Coimbra, cumpriu o serviço militar na guerra colonial, foi preso pela polícia política, fundou o Partido Socialista, partido pelo qual foi eleito deputado da Assembleia da República em todas as eleições legislativas. Enquanto escritor, destacou-se sobretudo como poeta. O seu primeiro livro de poemas, Praça da Canção, foi editado em 1965. Tem poemas seus musicados, cantados ou gravados por José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Alain Oulman, Amália Rodrigues, Janita Salomé, Mário Viegas, entre muitos outros. Além de poesia, escreveu obras de ficção e ensaios políticos. A sua obra foi várias vezes premiada.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home