17.5.07

LISBOA

Se vivesse em Lisboa neste momento, o meu desejo seria que nas próximas eleições para a Câmara Municipal perdessem todos os candidatos. Como não moro, ficarei apenas a desejar que, seja qual for o resultado, Lisboa não perca mais do que já perdeu até agora.

6 Comments:

At 8:37 da tarde, Blogger loucomotiva said...

se estes últimos anos passados da 'CM Lisboa' fosse na 'CM Porto', o que diria a imprensa centralista do país? a sorte é que Lisboa e o Porto, as verdadeiras cidades nelas existentes, são mais fortes que qualquer 'CM Politiqueira' e que qualquer jornalista que só conhece a marginal do estoril. por eles e por causa deles é que deixei de comprar jornais.
Jorge Garcia Pereira
www.loucomotiva.com

 
At 11:13 da tarde, Anonymous hmbf said...

Jorge, não costumo gostar desse tipo de especulações, mas olha que neste caso até te compreendo.

 
At 12:35 da manhã, Blogger loucomotiva said...

não estava a especular. se virmos as reportagens nos jornais portugueses, tudo o que diz respeito a alguma coisa para além do eixo da A5 é sempre citado como algo que se passou num outro lado qualquer, como que se para lá desse eixo não houvessem leitores portugueses a lerem na primeira pessoa. porque raio um cidadão em bragança ou em faro terá que ler 'lá em faro' ou 'aqui por lisboa', num periódico que seria aparentemente nacional? e há um claro desconhecimento de quem cria opinião pública no país do próprio país. na apresentação do livro do Pinto da Costa, uma jornalista do semanário SOL, que escreveu o mesmo livro, foi avisada antes de o fazer por colegas de lisboa que 'olha lá que por lá eles matam'! como se o Porto fosse um qualquer far west lá p'ró norte gerido à lei da bala, porque os civilizados escolhem a capital para viver! a actitude que os ingleses têm com Portugal (alguns deles acham que em Portugal ainda não se vacinam as crianças e que se come sem talheres), é a mesma que as gentes da grande lisboa tem com o resto do país. dá pena ver uma jovem da grande lisboa, formada em arquitectura (à partida deveria ser culta) dizer que o rio que desagua em setúbal é o mondego!!! certamente achará que a foz do arelho é resultado do alqueva! desculpa, não estava mesmo a especular, é que esta actitude das novas gentes de lisboa (porque as genuínas não têm culpa nenhuma desta tralha), perante o resto do país mete-me nojo.
e desculpa-me estar com este tipo de palavriado num espaço que te pertence, mas se quiseres apaga o meu comentário que não levo a mal pois acho-te um tipo porreiro.
forte abraço.
Jorge Garcia Pereira
www.loucomotiva.com

 
At 11:41 da manhã, Anonymous hmbf said...

Quando falei em especulação referia-me a esta pergunta, que é meramente especultaiva (logo na forma): se estes últimos anos passados da 'CM Lisboa' fosse na 'CM Porto', o que diria a imprensa centralista do país?

Quanto ao resto, pensa nisto: se com o Porto é como é, como não será com Leiria, Coimbra, Bragança, Guimarães, Santarém, Évora, Beja... Já agora, deixo link para post antigo que talvez explique parte do problema (http://antologiadoesquecimento.blogspot.com/2006/04/o-que-sempre-pensei-mas-nunca-disse.html).

Mas cuidado com as generalizações, são perigosas e quase sempre injustas. Não é por haver bestas no mundo que o mundo é uma "bestialidade". Eu não sei, por exemplo, qual é a atitude que os ingleses têm para com Portugal, mas sei que alguns portugueses têm para com os ingleses, franceses, até espanhóis, uma atitude de complexo de inferioridade que, muitas vezes, se resolve com generalizações do género dessas que estás a fazer. Não estou a dizer que tu és um desses portugueses, mas há muitos que são assim. Não é raro ouvir pessoas dizerem, por exemplo, que os ingleses são todos uma cambada de hooligans, ou que os franceses são chauvinistas, ou que os alemães são racistas, etc, etc, etc…

Eu penso é que há um défice de educação tremendo no mundo, um défice que agrava velhas assimetrias e acentua desigualdades. Em Portugal isso reflecte-se particularmente aos nossos olhos, pois é aqui que vivemos. Por isso dizemos que somos um país inculto, irresponsável, a sofrer de uma tremenda falta de educação e de civismo. Mas como será nos EUA, em Inglaterra ou França, para falar apenas em alguns baluartes do “mundo civilizado”?

Há dados que apontam muito nessa direcção de uma país “deseducado”: sinistralidade rodoviária, por exemplo. Se o jornalismo que se pratica reflecte isso, pois que só há uma explicação para tal: como chega essa gente sem cultura alguma às redacções dos jornais? Onde estudaram? O que aprenderam? E por que chegam como chegam aos jornais onde chegam? A explicação, como vês, é toda ela um conjunto de dúvidas que importaria colocar mas que, para já, julgo que ninguém está muito interessado em responder.

 
At 1:07 da tarde, Blogger loucomotiva said...

estou em total acordo contigo, mas todos nós (sem exepção), acabamos sempre a dada altura por generalizar. quanto aos ingleses posso dizer que sou sempre bem recebido por lá, mas há de facto um fraco conhecimento do que é portugal hoje, como aliás um pouco por todo o mundo, mas não é um problema a resolver, é assim mesmo. também poucos portugueses sabem o que verdadeira se passa em inglaterra. em relação às diferentes velocidades do país eu acho que o Porto nem tem muito que se queixar, em vivo muito bem no Porto e tem sido uma cidade que se tem composto (contudo henrique eu sou um tipo que tem dinheiro, e assim se vive bem em qualquer lugar), e os seus erros a si se deve. a falta de uma forte cultura na cidade por exemplo com o desperdicio que se deu no pós-porto2001, a verdade é que a maioria quer este executivo camarário. mas a actitude da imprensa perante o Porto aborrece-me, é a segunda metropole, entre Braga e Aveiro vivem entre 2 a 3 milhões de pessoas que não sabem ter voz e que a imprensa fala como se fosse alguma coisa na Galiza. ainda sobre este centralismo, acho que o Porto já teve muito que se queixar, a zona norte chegou a ser a que mais impostos pagava e que menos recebia face ao que pagava (para além dos dinheiros mal gastos em ferraris penso que isso também contribuio, e muito, para que a zona norte fosse uma das 4 mais pobres da europa a 15). hoje em dia acho que é o algarve que muito tem que se queixar. estive em sagres há relativamente pouco tempo e é impressionante as recentas que aquela região do país gera e o pessoal lá na capital a encher os bolsos como se fossem os senhorios das praias, dos cafés, dos hoteis... e voltando à imprensa infelizmente está entregue a meia dúzia de larápios bem vestidos que criaram poder nestas mega-empresas de informação, que escolhem de quem e onde escrever usando os jornalistas, desses que falas, que sem cultura foram ocupando os lugares de profissionais.
mas isso até acho que tem sido benéfico para a blogosfera, pelo menos fiquei com mais tempo e vontade de visitar o antologia.
Jorge Garcia Pereira
www.loucomotiva.com

 
At 1:15 da tarde, Blogger loucomotiva said...

e tens razão sobre a especulação. com a pergunta estava de facto a especular sem dar grande conta disso.
e ainda sobre o link http://antologiadoesquecimento.blogspot.com/2006/04/o-que-sempre-pensei-mas-nunca-disse.html
não poderia estar mais de acordo.
Jorge Garcia Pereira
www.loucomotiva.com

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home