3.6.05

AMIZADE, AMOR…

Amizade, amor, igreja e santos, cruzes, imagens,
Altar e púlpito e música. Soa-lhe ao ouvido o sermão.
Depois de comer, o ensino dos filhos parece conversa
Ociosa e sonolenta pra homem, menino e raparigas, mulheres pias;
Depois vai ele, o senhor, o cidadão e artista,
Alegre campos fora e pelas veigas pátrias;
Os jovens seguem também, contemplativos.

Tradução de Paulo Quintela.

Friedrich Hölderlin nasceu em Lauffen, nas margens do Neckar, no dia 20 de Março de 1770. Seu pai faleceu tinha o poeta dois anos. Pouco tempo depois, faleceu sua mãe. Hölderlin começou a escrever poesia muito cedo. Aos 14 anos já os seus poemas eram lidos por colegas e professores seus. Em 1788 foi estudar Teologia para Tübingen, onde travou amizade com Hegel e Friedrich von Schiller. Por volta de 1793 foi trabalhar para Frankfurt, onde se apaixonaria pela mulher do patrão – Susette Gontard (a Diotima dos seus poemas). Hölderlin deixou Frankfurt em 1798, dedicando-se afincadamente à poesia, à filosofia e à tragédia. Após uma breve estadia em França, o poeta regressou ao seu país. Datam desta época os primeiros sinais de esquizofrenia, seriamente agravados pela notícia da morte de Susette Gontard. Hölderlin veio a falecer, obnubilado pela loucura, no dia 7 de Junho de 1843. De um estudo que Karl Jaspers dedicou ao poeta alemão, destaco estas palavras: Pode-se compreender o espírito de Hölderlin, podem-se ver também os efeitos da doença na sua obra; estes dois pontos de vista não se combatem, completam-se.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home