15.10.08

APRENDER A CONTAR #24

MARIA-PELEGO-PRETO

Maria-pelego-preto, moça de 18 anos, era abundante de pêlos no pente.
A gente pagava pra ver o fenômeno.
A moça cobria o rosto com um lençol branco e deixava pra fora só o pelego preto que se espalhava quase até pra cima do umbigo...
Era uma romaria chimite!
Na porta o pai entrevado recebendo as entradas...
Um senhor respeitável disse que aquilo era uma indignidade e um desrespeito às instituições da família e da Pátria!
Mas parece que era fome.

Manoel de Barros (1916), Poemas Concebidos Sem Pecado, p. 51, Record, 3.ª Edição, 1999.
#1 / #2 / #3 / #4 / #5 / #6 / #7 / #8 / #9 / #10 / #11 / #12 / #13 / #14 / #15 / #16 / #17 / #18 / #19 / #20 / #21 / #22 / #23

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home