28.1.09

APRENDER A CONTAR #62

NAQUELE NOVEMBRO

Na véspera dos meus trinta e oito anos pensei nos poemas de Ruy Belo. E também eu quis escrever "Homenageio a tua primavera em flor". Passei o dia a desejar-te, amei o corpo adolescente.
À luz do candeeiro eu e ela falamos da nostalgia que virá por estas horas passadas junto à praia, pela imagem dos grãos de areia na sombra fulva que te cobre o sexo.
Nossos corpos perpetuam o amor, as palavras que celebram o encontro. O meu gesto, naquele Novembro em que a morte visitou as nossas vidas.

Isabel de Sá (1951), in Repetir o Poema, Edições Quasi, p. 262, Abril de 2005.

#1 / #2 / #3 / #4 / #5 / #6 / #7 / #8 / #9 / #10 / #11 / #12 / #13 / #14 / #15 / #16 / #17 / #18 / #19 / #20 / #21 / #22 / #23 / #24 / #25 / #26 / #27 / #28 / #29 / #30 / #31 / #32 / #33 / #34 / #35 / #36 / #37 / #38 / #39 / #40 / #41 / #42 / #43 / #44 / #45 / #46 / #47 / #48 / #49 / #50 / #51 / #52 / #53 / #54 / #55 / #56 / #57 / #58 / #59 / #60 / #61

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home