17.2.09

APRENDER A CONTAR #67

ARPEJOS

1
Acordei com coceira no hímen. No bidê com espelhinho examinei o local. Não surpreendi indícios de moléstia. Meus olhos leigos na certa não percebem que um rouge a mais tem significado a mais. Passei pomada branca até que a pele (rugosa e murcha) ficasse brilhante. Com essa murcharam igualmente meus projetos de ir de bicicleta à ponta do Arpoador. O selim poderia reavivar a irritação. Em vez decidi me dedicar à leitura.

2
Ontem na recepção virei inadvertidamente a cabeça contra o beijo de saudação de Antônia. Senti na nuca o bafo seco do susto. Não havia como desfazer o engano. Sorrimos o resto da noite. Falo o tempo todo em mim. Não deixo Antônia abrir sua boca de lagarta beijando para sempre o ar. Na saída nos beijamos de acordo, dos dois lados. Aguardo crise aguda de remorsos.

3
A crise parece controlada. Passo o dia a recordar o gesto involuntário. Represento a cena ao espelho. Viro o rosto à minha própria imagem sequiosa. Depois me volto, procuro nos olhos dela signos de decepção. Mas Antônia continuaria inexorável. Saio depois de tantos ensaios. O movimento das rodas me desanuvia os tendões duros. Os navios me iluminam. Pedalo de maneira insensata.

Ana Cristina Cesar (1952-1983) , in Um Beijo que Tivesse um Blue – Antologia Poética, Quasi Edições, p. 52, Novembro 2005.

#1 / #2 / #3 / #4 / #5 / #6 / #7 / #8 / #9 / #10 / #11 / #12 / #13 / #14 / #15 / #16 / #17 / #18 / #19 / #20 / #21 / #22 / #23 / #24 / #25 / #26 / #27 / #28 / #29 / #30 / #31 / #32 / #33 / #34 / #35 / #36 / #37 / #38 / #39 / #40 / #41 / #42 / #43 / #44 / #45 / #46 / #47 / #48 / #49 / #50 / #51 / #52 / #53 / #54 / #55 / #56 / #57 / #58 / #59 / #60 / #61 / #62 / #63 / #64 / #65 / #66

6 Comments:

At 7:35 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Henrique,
Desculpa a pergunta, mas é mesmo curiosidade de amador de blogs. Como consegues ter tempo para estas inumeras postagens diárias neste blog? Fico surpreendidíssimo pela positiva sempre que aqui venho... Aquilo que consegues descobrir é incrível...

 
At 9:25 da tarde, Blogger bruno sousa villar said...

Arpejos arrepiantes. Será, possivelmente, isto, as 2overdoses de beleza" com que queremos morrer.

 
At 11:55 da tarde, Blogger hmbf said...

Anónimo, digamos que sou muito organizado (cof, cof…). Por exemplo, hoje saí do serviço às 23. Mais 15 minutos para fechar a caixa e outros 15 para despejar o lixo, eis-me em casa às 23:35. Vesti o pijama, abri uma mini e um pacote de Cheetos e aqui estou eu a responder-lhe e a ver a Maria Elisa em directo. Agora tenho, pelo menos, três horas pela frente para fazer o que bem entender. As insónias são a única matéria de facto neste weblog.

BSV, isto é bom e é vivo.

 
At 10:34 da tarde, Blogger Janaina Amado said...

Cohecia a poesia de Ana Cristina Cesar. Não sabia que sua prosa é tão boa.

 
At 12:28 da manhã, Blogger hmbf said...

Janaiana, é tudo o mesmo. E é bom.

 
At 3:58 da manhã, Anonymous Ana Gusmão said...

Me orgulho em ver Ana C. por aqui

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home